Adolescência - 13.06.2016.
 

Adolescência



Dra. Mara Solange Carvalho Diegoli
Telefax (11) 3083-3343



A adolescência é a fase da vida em que ocorrem várias transformações, tanto físicas como psicológicas. É a passagem da infância para a maturidade e inicia-se entre os 10-12 anos, terminando por volta dos 18 anos.
A adolescência é um período da vida muito difícil, cheio de transformações, dúvidas e incertezas. É onde ocorre o despertar da sexualidade e a menina começa a se transformar em mulher.



Alterações físicas
Mamas: entre os 9-12 anos, aparece uma elevação no local dos mamilos, geralmente dolorosa- o broto mamário - que aos poucos vai aumentando, até atingir o tamanho predeterminado geneticamente, entre os 16-18 anos. Este fenômeno é chamado de telarca. As mamas não se desenvolvem de forma simétrica e é muito freqüente uma começar a se desenvolver antes, ou terem forma e tamanhos diferentes. Com o tempo estas diferenças tendem a diminuir.



Altura: após o início da telarca a menina começa adquirir altura, podendo crescer de 6 a 9 cm em um ano. Este crescimento vai depender de vários fatores: genéticos, alimentares, atividades físicas, etc. O crescimento cessa na menina entre os 15-16 anos. Embora a altura seja determinada geneticamente, exercícios moderados e freqüentes, de preferência sob a ação dos raios solares e alimentação saudável, rica em frutas e verduras,e sem excesso de açúcar podem ajudar no crescimento.



Pubarca e axilarca: por volta dos 11-12 anos, aparecem os pelos púbicos e axilares. Étambém nesta época que as axilas começam a produzir secreção e as bactérias passam a atuar, transformando a transpiração em um odor fétido o que obriga a utilização do desodorante. A depilação deve ser a primeira opção quando os pelos da perna ficarem escuros e compridos. Toda a vez que os pelos forem raspados eles tenderão a crescer mais rápido e mais fortes.



Menstruação: menarca é o nome que se dá à primeira menstruação. A menarca é o fator físico mais marcante da adolescência e ocorre entre os 11 e 14 anos, geralmente como um discreto sangramento, que pode durar de 2 a vários dias. Mas porque ela ocorre? O que fazer? Devemos tomar algum cuidado especial? Posso tomar banho, lavar a cabeça, nadar?




A PRIMEIRA MENSTRUAÇÃO



A primeira menstruação geralmente aparece entre os 11 ou 14 anos, mas em algumas meninas ela pode iniciar entre os 9-10 anos ou mais raramente após os 15 anos.



Por que ela ocorre?
A menstruação é a descamação da parede interna do útero. O útero é um órgão com formato de uma pêra que fica localizado na parte inferior da barriga. Para que o feto se desenvolva é preciso que ele esteja localizado em um lugar seguro, de onde ele possa retirar o alimento para se desenvolver, ao mesmo tempo que fica protegido de traumatismos. Este lugar é o útero. O útero mede mais ou menos 7 cm de comprimento, mas à medida que a gestação vai evoluindo, ele acompanha o desenvolvimento do feto e cresce, até 30cm de comprimento ou mais. Todos os meses o útero sofre uma série de transformações internas, que faz com que a parte interior do útero (endométrio) cresça e se modifique para receber o óvulo fecundado. Se não houver gravidez o endométrio é eliminado pela vagina, juntamente com o sangue que o nutria. Este fenômeno é a menstruação, que ocorre geralmente a cada 28-30 dias e dura de 3 a 5 dias.

O que é menstruação normal?
A menstruação dura em média 3 a 5 dias e aparece a cada 28-30 dias, mas freqüentemente as primeiras menstruações podem ser totalmente irregulares, isto é, durar mais de 5 dias e ocorrer a cada 15 dias ou 2 meses. O importante é que o sangramento não seja abundante, e embora a mulher use de 10 a 15 absorventes por mês, esta quantidade pode variar de 5 a 20, de acordo com o mês. Deve-se procurar ajuda médica sempre que a menstruação durar mais do que 7 dias, e o sangramento for de tal intensidade que seja necessário usar mais do que 6 absorventes por dia.



A adolescente pode ter vida normal durante a menstruação?
A adolescente pode e deve ter vida normal durante a menstruação. Pode fazer exercício físico, ginástica, nadar, etc. Entretanto é natural que em dias muito quente o sangramento aumente. Para isto a garota deve estar prevenida e carregar consigo o absorvente para trocar mais freqüentemente. Sempre que entrar na água (mar ou piscina) é aconselhável trocar o absorvente.



A adolescente virgem pode usar o absorvente interno?
Não é aconselhável antes de passar no ginecologista e pedir orientação, pois embora todas as mulheres que menstruam possuam o orifício himenal, muitas vezes ele pode ser muito pequeno e oferecer resistência á introdução do absorvente interno. Caso isto não seja possível use somente os absorventes que possuem o tamanho pequeno, próprio para adolescentes e siga corretamente as instruções. Nunca fique com o absorvente por mais de 4 horas, e nunca durma com ele, pois pode ocorrer infecção e dificultar futuras gravidezes.



E a cólica menstrual, por que ocorre e o que fazer?
A cólica menstrual é muito freqüente nas adolescentes. Ela aparece geralmente nos primeiros anos após a menarca e desaparece por volta dos 21-22 anos. A cólica é a dor no baixo ventre que surge no primeiro dia da menstruação e dura 24 a 48 horas. Ela ocorre na adolescência, pois nesta época da vida o útero ainda não está totalmente desenvolvido e durante a menstruação é liberada grande quantidade de prostaglandina (substância que aparece no endométrio) que fará com que o útero sofra uma contração para tentar expulsar não somente o sangue menstrual, mas também a prostaglandina. Isto aumenta a pressão sobre os vasos e nervos que estão no útero e a conseqüência disto é a dor forte, que pode ou não vir acompanhada de dores de cabeça, dores nas pernas, diarréia.



O que fazer quando estiver com cólica?
A cólica pode e deve ser tratada. Não tem sentido a mulher ter dor, e não tratar. Existem vários medicamentos no mercado, desde os mais antigos, que fazem o útero relaxar até os antiinflamatórios que bloqueiam a ação da prostaglandinas ou os analgésicos, que atuam impedindo a dor.



Quando procurar o médico e que médico?
Deve-se procurar o médico, ginecologista, sempre que menstruação vier acompanhada de cólica (dor) ou que o sangramento seja intenso, seja na quantidade (mais de 6 absorventes por dia) ou na duração (mais de 7 dias) .



A adolescente pode ou deve interromper a menstruação?
A menstruação, é na verdade, o epílogo de um fenômeno que ocorre em nosso corpo todos os meses. Ela seve para indicar que nós estamos preparadas para engravidar. Entretanto para que ela ocorra é necessário um perfeito entrosamento entre vários sistemas do nosso organismo, desde a o hipotálamo e hipófise,localizados no cérebro, até o útero, ovários, vagina e demais glândulas endócrinas, tais como a supra-renal e a tireóide. É natural acreditarmos que se não desejamos engravidar, não há porque continuar a menstruar. Seria bem mais prático. Entretanto, até hoje, todos os medicamentos que bloqueiam a menstruação atuam em outros órgãos interferindo no organismo inteiro. Por exemplo: os hormônios que bloqueiam a menstruação também podem: aumentar o apetite, fazer com que o organismo retenha água, e a mulher sinta-se mais inchada, alteram o humor ou ainda bloquearem totalmente a produção de estrogênio, importante para a manutenção do metabolismo do osso, da pele, das mamas e do cabelo, sem falar do humor. Alguns medicamentos podem provocar sintomas semelhantes aos do climatério, tais como calores, dores de cabeça, desânimo, etc. Portanto a menstruação somente deve ser bloqueada se houver necessidade.




E PSICOLOGICAMENTE FALANDO, QUAIS SÃO AS ALTERAÇÕES MAIS FREQÜENTES?



Na adolescência ocorrem várias modificações comportamentais e psicológicas, além das físicas já descritas.



A principal modificação ocorre com relação ao modo de encarar o sexo contrário. Garotos e garotas descobrem que seus corpos lhes proporcionam prazer. É a fase onde se desperta para a sexualidade. É também a época da vida em que as pessoas procuram se identificar com outros, imitando e copiando o modo de vestir, falar, agir e se comportar. O grupo passa a ser mais importante do que a família. A necessidade de estar com pessoas da mesma idade passa a ser imperativa. Ser reconhecido e aceito pelo grupo irá ajudar na formação da auto-estima, que agora está profundamente abalada pelas modificações que estão ocorrendo rapidamente no organismo e totalmente fora de controle. Crises de revolta e depressão são freqüentes. A vontade de ultrapassar os próprios limites, contestar e desafiar a autoridade é a característica marcante desta fase da vida. O presente, curtir a vida ao máximo sem pensar no amanhã são prioridades dos adolescentes.



Quais as conseqüências destas mudanças?
É nesta fase que a garota procura se "encontrar". Seus antigos valores e referenciais já não servem para a fase atual. Ao mesmo tempo que recusa as regras antes estipuladas para a infância, tem dificuldade em aceitar as impostas para os adultos. Começa a procura pela sua própria identidade, e torna-se um alvo fácil para traficantes, ou oportunistas. O pensamento mágico, próprio desta fase da vida dá aos jovens a coragem necessária para agirem sem pensar no amanhã. O medo das conseqüências não existe, pois tudo terminará bem. É a época de experimentar tudo que a vida oferece, sem se preocupar com as conseqüências.




A PRIMEIRA RELAÇÃO



A primeira relação geralmente ocorre quando menos se espera. Primeiro vem os beijos, depois o "ficar" ou "rolo" e a seguir vem a vontade de experimentar o sexo. Entretanto esta primeira vez vem cheia de dúvidas e medos.
- será que dói?
- vai sangrar?
- vou ficar grávida?
- será que ele vai gostar de mim?
- será que ele vai achar que eu sou muito boba ou muito atrevida?
- será que ele vai gostar?
- ele vai querer continuar comigo depois disso?
- como saber se estou preparada?
- ele é o cara certo para mim?



Todas estas dúvidas aparecem antes da primeira relação. E muitas delas continuarão por toda a vida. Como saber quando chegou a hora?



O que fazer?
O ideal é a adolescente somente ter a primeira relação após ter certeza de que está preparada, e isto só é possível quando tomou algumas medidas necessárias.
A primeira e sem dúvida a mais importante é que a garota precisa ter certeza de que o namorado realmente gosta dela, e não está querendo apenas se aproveitar. O rapaz quando realmente gosta de garota não se importa de esperar, e durante a relação ele estará preocupado em não machucar e evitar que ela engravide. O egoísmo e frases como: eu preciso ter relação; eu não posso usar preservativo pois aperta ou tira a sensação de prazer; se você não tiver relação comigo eu vou procurar outra; são sinais evidentes de que a primeira relação será um "furo". A escolha do parceiro certo é fundamental para que a primeira relação seja o menos decepcionante possível.
Uma vez encontrada a pessoa "ideal" o segundo passo é procurar conhecer os métodos úteis que vão ajudar a evitar a gravidez e as doenças que se contraem durante a relação sexual (doenças sexualmente transmissíveis-DST). O preservativo é obrigatório, pois além de evitar a gravidez ele impede a AIDS, o papiloma, a sífilis, a gonorréia... e futuras dores de cabeça ou arrependimentos.
Se a garota tomar estes dois cuidados, então ela estará pronta para decidir se deve ou não ter a primeira relação. Mas nunca a tenha apenas porque os outros querem. A garota que se gosta e se valoriza e não tem medo de dizer não enquanto não estiver preparada.
Aprender a se conhecer e saber dizer não, ainda não estou preparada, é fundamental para que a primeira relação seja boa para os dois.




GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA



Por que a gravidez está aumentando entre as adolescentes?
Como evitar a gravidez?
O que acontece com o corpo da adolescente na gravidez?
A gravidez na adolescência tem mais riscos?



Embora o número de gravidezes esteja diminuindo nas mulheres em geral, ele está aumentando nas adolescentes. Cada vez mais cedo a menina engravida e apesar de todos os esforços para evitar a gestação na adolescência, este número permanece alto. Porque s adolescentes continuam a engravidar? Falta de informação? Poder da mídia? Despreparo dos profissionais da saúde e da educação para falarem de sexualidade? Rebeldia?



Pode-se classificar os responsáveis pelo alto índice degravidez na adolescência em três grandes grupos:



1 - auto-estima
2 - fatores sócio econômicos
3 - sociedade, cultura e poder da mídia



1 - Auto-estima
A auto-estima é o fator que mais influi em todas as escolhas feitas pelas adolescentes. A garota que se sente amada, principalmente pela família, valorizada e confiante, sente-se mais segura, não apenas para escolher o seu parceiro, mas principalmente para decidir quando quer ter relação e pedir para que ele use o preservativo. A garota com boa auto-estima, sente-se mais à vontade para tomar decisões e assumí-las. A adolescente que se sente inferiorizada não tem coragem de exigir nada, e aceita tudo que lhe é imposto, até por medo de "acabar sozinha".
A auto-estima começa a ser formada na infância, mas na adolescência ela estabiliza, seja em um patamar alto ou baixo. Embora ela possa ser alterada ao longo da vida, o alicerce manter-se-á estável.
A família e principalmente os pais exercem grande influência na formação da auto-estima. A criança que cresceu sempre sendo desvalorizada, e desprestigiada pelos pais ou colegas procurará desesperadamente alguém que lhe dê atenção. Com medo de perder o namorado acabará cedendo sempre, e até favorecendo a gravidez para poder segura-lo ou mudar de casa. O mal relacionamento com a família, falta de diálogo tanto com a mãe como com o pai impede garota de obter informações com aqueles que deveriam fazê-lo, e por desconhecimento ou por vingança a adolescente facilita a gravidez .



2 - Fatores econômicos
A falta de acesso aos meios anticoncepcionais, ou a falta de acesso ao médico mais freqüente na classe social mais pobre atua como fator importante no aumento de gestação na adolescência. Muitas vezes , meninas de famílias economicamente mais favorecidas, até tem acesso às informações, mas com medo de confessarem aos pais que querem ir ao ginecologista, acabam muitas vezes tendo as primeiras relações sem os devidos cuidados. Quanto mais o governo impuser a necessidade de receitas para poder comprar os métodos anticoncepcionais nas farmácias, mais grave ficará a situação dos menos favorecidos economicamente.
A falta de recursos também impede a disseminação de informações, seja através da escola ou dos meios de comunicação, além de limitar as ambições, tornando muitas vezes o casamento e a maternidade a única opção para a adolescente desprovida de recursos sem motivação e esperança para buscar qualidade de vida melhor.



3-Sociedade, cultura e mídia
A sociedade, a cultura local e os meios de comunicação atuam de forma importante no aumento de gestações na adolescência. A garota que convive em uma sociedade onde a gravidez geralmente é postergada pela carreira tem outros objetivos de vida além de casar e ser mãe. Mas a influência dos amigos e o poder da mídia, pesam de forma importante na decisão de ter ou não relação sexual precocemente, e se é importante ou não evitar a gravidez e as DST. Geralmente a mídia passa a mensagem de que a relação sexual é uma coisa maravilhosa e desprovidas de riscos. Caso a garota engravide a família e o namorado irão aceitar o fato com naturalidade e alegria. Isto tudo fica ainda mais intensificado por uma característica própria da adolescente: o pensamento mágico. "Tudo vai dar certo e acabar bem". Entretanto na vida real isto raramente ocorre. Ao engravidar o primeiro a ter medo e a desaparecer é o namorado. E a família? Bem isto dependerá da escala de valores de cada um, embora todos os pais no primeiro momento sofram pelos filhos, na somente por verem o futuro deles alterado abruptamente, mas também por vergonha de terem que assumir que a filha engravidou ainda solteira. Passado o primeiro susto começarão as discussões sobre o que fazer com a gravidez e a criança. È nesta hora que todos os fatores anteriores se somam e a decisão será apenas uma conseqüência de tudo o que já foi exposto.
E os médicos e profissionais da saúde, em que podem contribuir para reduzir este alto índice de gestação na adolescência?
È entendendo que o adolescente possui característica próprias, diferentes da mulher adulta. A imediatismo, inconseqüência e o pensamento mágico acabam neutralizando grande parte das informações passadas. A melhor hora de orientar sobre a anticoncepção é quando o adolescente procura o médico por qualquer motivo, seja corrimento ou irregularidade menstrual. Ensinar sobre os riscos de gravidez e de DST deixando sempre claro que ele estará sempre lá quando a adolescente precisar, e que mesmo que o preservativo estoure, ainda há tempo de tomar a pílula do dia seguinte, e desta forma evitar a gravidez.
E a escola? Em que pode contribuir para reduzir a incidência de adolescentes grávidas?
Fornecendo orientação sexual a partir da sétima série , ou 13-14 anos, mas não de uma forma estática, mas dinâmica, usando o teatro, a redação e a pesquisa como meios de informação. Fazendo com que o aluno participe de uma forma ativa, e nunca passiva, pois somente desta forma o adolescente se motivará e buscará informações sobre a sexualidade e os métodos anticoncepcionais.




ANTICONCEPÇÃO NA ADOLESCÊNCIA



Embora existam vários modos de evitar a gravidez, alguns não devem ser utilizados pelas adolescentes. A eficácia de cada método, vantagens e desvantagens serão descritas a seguir:



1 - Tabelinha
Este método somente poderá ser utilizado por mulheres que possuem ciclos menstruais regulares. Para calcular o ciclo menstrual a mulher deve anotar o primeiro dia da menstruação em um caderno ou calendário, e novamente o primeiro dia da menstruação seguinte. O intervalo entre as duas menstruações é chamado de ciclo menstrual. Considera-se ciclo menstrual normal aquele onde a menstruação ocorre sempre entre 28 ou 30 dias depois. Se isto não ocorrer então o método da tabelinha não DEVE ser usado.



Como calcular o dia perigoso? O dia que mais chance a mulher tem de engravidar?
É fácil.
Marque o primeiro dia do ciclo menstrual (o primeiro dia da menstruação) e some a ele 14 ou 15 dias. O décimo quarto e décimo quinto dia depois do início da menstruação é o dia mai perigoso para engravidar. Pois é o dia em que a mulher está ovulando, isto é, o dia em que o óvulo sai do ovário e entra no útero. Neste dia se a mulher tiver relação ela irá engravidar. Mas como o óvulo e o espermatozóides ficam vivos no útero por 2 a 4 dias, a mulher não teve ter relação 4 dias antes e 4 dias depois do dia perigoso.



Exemplo: primeiro dia da menstruação: 23 de Janeiro
Dia provável da ovulação: dia 6 e 7 de Fevereiro (conte o primeiro dia)
Dias perigosos para engravidar: de 2 a 11 de Fevereiro.



Falha do método: este método falha muito, pois se o ciclo não for regular ou um dos parceiros não quiser respeitar a abstinência, será impossível usa-lo como método anticoncepcional.



2 - Camisinha ou preservativo
A camisinha é o método mais importante na adolescência. Isto porque é na adolescência que se adquire mais freqüentemente as doenças ditas venéreas, isto é, de transmissão sexual. Nunca tenha a primeira relação sexual sem o preservativo. Ele é, junto com a camisinha feminina, a única forma de não adquirir AIDs ou HPV. Sempre antes de introduzi-la dê uma torcida na ponta, para que o ar aí contido escape, evitando que ela se rompa durante a relação.



Falha do método: 3 a 12%



3 - Camisinha feminina
A camisinha feminina é o novo método anticoncepcional que é colocado na vagina da mulher antes da relação sexual e tem a vantagem de recobrir tanto a região externa (vulva) como interna a interna (vagina) dos órgãos genitais femininos.



Vantagens: é uma boa alternativa para a mulher quando o homem não quiser usar o preservativo. Evita tanto a gravidez como as doenças venéreas.



4 - Diafragma
De difícil manuseio, e com alto índice de falha na adolescência.



5 - Pílula anticoncepcional
É o mais eficiente `método para evitar a gravidez na adolescência. Entretanto deve ser tomado conforme será descrito abaixo, pois caso contrário a mulher poderá engravidar.



As pílulas vem em cartelas contendo geralmente 21 comprimidos. A garota deve iniciar o primeiro comprimido no primeiro dia da menstruação. A seguir ela vai tomando um comprimido por dia, todos os dias no mesmo horário, e sempre com comida (o melhor é no jantar). Após 21 dias o comprimidos acabam, então ela fica uma semana sem tomar nada e recomeça a nova cartela exatament no dia da semana que ela tomou o último comprimido da cartela anterior. Ou seja ela toma 3 semanas e descansa apenas uma semana. Durante esta semana de descanso ela irá menstruar.



Este método falha quando: a mulher esquece de tomar um ou mais comprimidos, ou ela toma e vomita, ou quando ela começa a tomar os comprimidos em um dia diferente do explicado acima.



Índice de falha: varia muito de mulher para mulher, conforme a motivação ou o medo de engravidar. Mas se ela tomar direito, é o método uns dos métodos mais seguros e tem falha de apenas 1 caso em 200 (0,5 %).



6 - Pílula do dia seguinte
Muito útil na adolescência, ou quando o preservativo rompeu, ou quando a mulher foi estuprada.



Como age: de várias formas: bloqueando a subida e mobilidade do espermatozóide, bloqueando a locomoção do óvulo na trompa e bloqueando a implantação. Por impedir a fecundação não é abortivo. Não é a pílula abortiva (RU-486)



Vantagem: é um método relativamente barato, fácil de ser usado e não precisa de cuidados prévios.
É muito útil para a adolescente, pois é comum da adolescência a garota só lembrar que pode engravidar após a relação ter sido praticada. Seria a famosa segunda chance para não engravidar, quando todos os cuidados anteriores não foram seguidos.



Cuidados: pode causar enjôo, vômitos ou dor no estômago e cabeça. Isto por que a mulher está tomando o que corresponderia a 4 comprimidos das pílulas normais de uma só vez. Tem que ser tomado de preferência logo após a relação ou até no máximo três dias depois.



Como tomar: se for a pílula do dia seguinte (POSTINOR-2, POZATO ou outras) tomar um comprimido após a relação (ou no máximo até três dias depois ) e outro após 12 horas do primeiro. Caso não encontre as pílulas do dia seguinte, compre o Evanor ou Neovlar e tome 2 comprimidos de uma vez e 2 após 12 horas dos primeiros. Este método é muito eficaz mas não pode ser usado mais do que uma vez por mês, pois são grandes doses de hormônio de uma única vez, aumentando os riscos e as complicações.



7 - Injeção mensal, ou trimestral ou implante
A injeção mensal contem na sua composição o estrogênio e a progesterona, e deve ser aplicada uma vez por mês, sendo que a primeira entre o sexto e oitavo dia do ciclo menstrual e a próxima após 30 dias da primeira. Ela não bloqueia a menstruação e é um ótimo método para a adolescente que esquece de tomar pílula.



A injeção trimestral contêm apenas a progesterona em grandes quantidades, e por isto pode bloquear a menstruação ou provocar sangramentos irregulares. Não deve ser usada em adolescente pois impede a produção do estrogênio fundamental nesta época da vida para o desenvolvimento das mamas, osso e demais órgãos em formação. Está indicada para aqueles casos em que a menstruação põem em risco a vida das mulheres (doenças hematológicas, doenças que são estrogênio dependentes, etc). è um ótimo método para a mulher que está próxima da menopausa ou precisa bloquear a menstruação.



Os implantes foram lançados atualmente no mercado e não foram testados em adolescentes. Portanto devem esperar alguns anos para que se confirme as vantagens e desvantagens na adolescência.



8 - Outros métodos
Os demais métodos, tais como coito interrompido, espermicidas, pílula contínua, DIU e laqueadura tubária são métodos que devem ser evitados na adolescência por múltiplos fatores: maiores índices de falhas, riscos importantes na adolescência, e esterilidade definitiva. Estes métodos quando utilizados na adolescência somente podem ser feitos após uma boa explicação das vantagens, riscos e efeitos adversos.



 

 
 
 
 
 
 
Publicações
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
Edificio Central Office's
Rua Teodoro Sampaio, 352 - cj. 172 - CEP 05406-900 - Pinheiros - São Paulo - Brasil
Fone 55 (11) 3083-3343 - e-mail: contato@maradiegoli.com.br